Te ganhar ou perder sem engano. É, eu preciso dizer que eu te amo tanto...

01:45


Eu não encontro outra palavra para descrever esse livro além de doce. Mais de 320 páginas de pura doçura.

Ok, sendo um pouco mais sincera a Fani me tirou do sério um pouquinho com a confusão que ela acabou criando, mas no início de cada capítulo a autora me conquistou colocando trechos dos meus filmes do coração (Brilho eterno de uma mente sem lembranças, 10 coisas que eu odeio em você, Peter Pan, Em busca da terra do nunca, e O fabuloso destino de Amélie Poulain!!). 

A Fani é uma garota super sonhadora, que tem como hobbie Dvds. Ela tem dois melhores amigos, a Gabi e o Leo... E claro, uma grande paixão.

A cada dia eu me surpreendo mais com o quanto a literatura brasileira tem mudado, eu cresci lendo Giselda Laporta (autora maravilhosa que vai morar pra sempre no meu coração, juntinho da Anuska) e agora vejo as crianças lendo Talita e Paula Pimenta. Não sei o que pensar dessas mudanças, acho que tudo isso faz parte do processo que estamos passando, quando eu tinha 10 anos uma criança lendo um livro era motivo de chacota e hoje as crianças pedem livros no natal. Isso é maravilho, principalmente - me desculpe mundo - porque elas não terão de passar pelo martírio de ler a série vaga-lume, e crescerão amando os livros, como eu cresci.

Mas no fim a autora cria uma situação linda e, ao mesmo tempo, profundamente triste. Coitadinha da Fani, ainda bem que um ano passa rápido...

Mas que Deus abençoe as escritoras que descobriram que literatura "fácil" e interessante de ler não é sinônimo de um produto ruim.

P.S.: Tem coisa melhor que um livro lindo com uma trilha sonora ainda mais linda?

Continue a nadar!

0 comentários