"Oliver é como uma música que ela não consegue esquecer."

21:21

Eu não sou muito de dar cinco estrelas para qualquer livro, mas A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista merece cada uma delas. Hadley está se preparando para ir ao casamento do seu pai com a mulher que o separou de sua mãe. Ela ainda não superou o "fim" de sua família e não sabe como, sofrendo de claustrofobia, passará horas dentro de um avião. Claro que tudo o que pode dar errado, invariavelmente, vai dar errado, e por quatro minutos de atraso ela perde seu voo e se vê obrigada a esperar o próximo avião. Mas essa viagem pode não ser tão ruim, pois o passageiro na poltrona ao lado é Oliver, um lindo e simpático britânico.

Eu tenho uma queda por livros com nomes grandes. Eu acho tão charmoso. Também tenho um tombo por capas bem feitas, e comento muito isso. Acho que a capa tem que refletir não só o estilo dos protagonistas, fisicamente falando, mas também toda a atmosfera da narrativa, e essa capa transmite isso perfeitamente. 

Esse é um daqueles livros que a gente espera que tenha um final "felizes para sempre", mas em cada página a incerteza desse desfecho fica mais acentuada. Hadley me conquistou quando começou a falar de livros, o mesmo aconteceu com o pai dela, durante todo o livro eu torci para que ela o perdoasse porque, apesar de tudo, ele parecia ser um cara legal (estou falando como se eu tivesse encontrado-o ali na esquina). E o Oliver... "é como uma música que eu não consigo esquecer".

Quando o livro acaba é um choque que tudo tenha acontecido em apenas 24 horas, mas não é aquele tipo de livro que em um mesmo dia a protagonista começa uma guerra/ derruba um regime/ arruma um namorado/ faz compras/ termina o namoro/ e ainda arranja tempo de acabar com o novo presidente (nada contra, eu amo HG, ok!?). Esse livro é leve e mesmo que aparente ser muito superficial ele é totalmente o oposto. Ele fala de crescer e ser independente, fala sobre perda e perdão, e fala sobre amor. Fala que o amor pode acontecer em qualquer hora e lugar, porque quando nos apaixonamos um minuto parece uma eternidade.

Claro que não é uma obra magnífica e esplendorosa que irá perdurar enquanto a humanidade existir (penso eu, não tenho como afirmar isso né, vai saber...), mas é um livro bom. Acho que não tem nada melhor do que isso, um livro simples e bom que te prende e que no fim te faz feliz.


Continue a nadar!

4 comentários

  1. Oiiee,

    Adorei sua resenha, já te falei que você escreve super bem né? :)
    Fiquei com vontade de ler, gosto de livros que marcam uma "era", mas um livro simples, legal, é ótimo em um domingo de sol, para esquecer o mundo :P
    Adorei a resenha, adicionando a futuras leituras.. *-*

    Beijos
    http://traduzindo-sonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Passando para avisar que já postei no blog os participantes do book tour. Confira lá. Enviei um e-mail explicativo também. Obrigado pela participação.

    O mundo sob o meu olhar

    ResponderExcluir
  3. adooorei sua resenha, tô querendo muito ele faz tempo, mas nunca acho por aqui (ou nunca o acho com um preço em conta)
    http://suhdd.blogspot.com.br

    ResponderExcluir