"Só tenho amor por você."

09:00

Gente estou oficialmente de férias e caminho para meu terceiro período em Jornalismo! O que não é algo que estou muito inclinada a comemorar já que esse período vai ser o mais chato/difícil segundo fontes seguras e pesquisas profundamente confiáveis. Mas ok, o assunto aqui é ver o lado bom da coisa né, e o dia se torna bem mais bonito quando me lembro do Pat cantando E!-A!-G!-L!-E!-S! EAGLES!
Eu li com tantas expectativas que acabei me decepcionando. Eu não acho que seja um livro ruim, mas diferente do que estou acostumada. Talvez por ser escrito por um homem, e o protagonista também ser do sexo masculino acabei tendo dificuldades de me envolver com a trama e me afeiçoar aos personagens. Mas eu realmente gostei do Pat, é o tipo de protagonista "real" que faz coisas absurdas e idiotas mas logo depois na página seguinte solta algo como "Só tenho amor por você" com tanta ternura, que não há como não perdoa-lo por suas "loucuras". Mas sinceramente, do fundo do meu coração o que mais me irritou, e que talvez tenha tomada a quinta estrela de O Lado bom da Vida, foi o "tempo separados", porque eu realmente tive medo do que aconteceria quando esse tempo acabasse, e bem, eu com certeza sou tão fã da Nikki quanto a mãe do Pat...
Agora eu preciso falar da "louca" mais incrível que eu já encontrei: Tiffany. Ela tem uma personalidade tão forte e expressa seus pensamentos e sentimentos de forma tão marcante que é impossível ficar contra ela. E a imagino uma dançarina expressiva e totalmente excepcional e fiquei quase dando pulos de alegria no final. 

Quero fazer um post falando apenas do filme que como o livro é muito bom, mas com uma estória apenas levemente parecida. Enfim, o filme sendo bom ou não rendeu uma capa linda, uma das minhas favoritas na estante, e super fotogênica. 

Indico, principalmente para quem não gosta de amorzinho mel com açúcar (que eu confesso amar).

Continue a nadar!

0 comentários