Incômodos matinais

17:14

Eu ando pensando muito em você.
Desejo que você esteja bem.
Minha vida tem mudado tanto que quase nem sobra tempo para sentir sua falta.

Mas essas dores femininas me incapacitam.
E minha fome me incapacita.
E essa primeira luz da manhã me incapacita.
Nesses momentos você surge no fundo da minha mente.
Nos meus momentos de fraqueza você clama pelo seu lugar de direito: minha vulnerabilidade.

Porque o amor é isso, se sujeitar à vulnerabilidade.
E está tudo bem não conseguir fazer tudo sozinha.
Está tudo bem precisar, às vezes, de um remédio para aliviar a dor.
Está tudo bem amar alguém longamente e silenciosamente.
Contando que nada disso me mate, tudo ficará bem.

É a primeira vez que olho o amanhecer daqui.
Eu tenho medo disso, dos amanheceres parecerem sempre tão extraordinários.
Porque dessa maneira como posso escolher um favorito?


Essas dores femininas... 

Continue a nadar!

0 comentários